FEMMEFEST ganha segunda edição no dia 06 de março

Programação digital reunirá shows, performances, palestras e bate-papos


Banda Icamiabas é uma das atrações do II Femmefest.


Em 2021, a segunda edição do FEMMEFEST será em formato digital. O festival que tem o objetivo de promover o protagonismo feminino na cultura, em especial na música, realizará uma programação intensa no dia 06 de março, às vésperas do Dia da Mulher, a partir das 19h no canal FEMMEFEST no YouTube.


Reunindo shows musicais, performances artísticas e bate-papos, o II FEMMEFEST - As Três Marias extrapolou as barreiras da capital paraense e conta com convidadas de outros estados e do interior. Com o tema As Três Marias, o festival passeia por referências como o Quilombo do Abacatal, o livro feminista Novas Cartas Portuguesas e a presença feminina na Cabanagem. Sheila Moutinho, integrante da Banda Icamiabas e idealizadora do projeto, contou que o FEMMEFEST 2021 visa “possibilitar a formação de uma nova consciência amazônica através da disseminação da nossa música, poesia, teatro e as diversas formas de fazer cultura, mostrando a transversalidade que um festival pode mostrar”.


A VOZ DELAS - O festival, que é massivamente realizado por uma equipe feminina, priorizou bandas que não estavam na primeira edição e que não passaram em nenhum edital, para fortalecer o fazer feminino da área da cultura, ainda mais após um ano em que, com as regras de isolamento social, as pautas foram canceladas e as artistas ficaram prejudicadas.


A programação é 100% feminina e conta com shows da Banda Icamiabas e do Grupo Encanto do Tambor, ambos de Belém; Aurora Punk, de Santarém; Banda Amurians, de São Paulo e Brenda Zeni, do Amapá. As performances ficam por conta do Coletivo Mulheres de Ananindeua em Movimento e de Tarsila França. Já os bate-papos e palestras terão a presença de Lívia Noronha, Eliana Borgea e do Coletivo Tudo Pelas Mulheres - TPM.


A participação de atrações de outros estados só foi possível por conta do formato digital que rompeu as fronteiras físicas do projeto. “Pretendemos atingir o maior número de pessoas possível levando ao Brasil e ao mundo o brado dessas guerreiras, pela diversidade cultural e pela história de nossas mulheres, atingindo positivamente a vida de todo aquele que precisa ouvir nossa voz”, revela a idealizadora do projeto, Sheila Moutinho.



Realizadoras e pública no encerramento do I Femmefest, em 2020.


ROMPENDO SILÊNCIOS - A pandemia da COVID-19 causou um impacto muito grande no setor cultural, com cancelamento de pautas e a migração de eventos presenciais para o digital. Mas a pandemia também afetou diretamente a vida das mulheres, principalmente das mais pobres e vulneráveis. Por conta do isolamento social, elas ficaram presas em casa com seus agressores, na maioria das vezes, maridos, pais, tios e avós, aumentando os casos de violência contra as mulheres, como registrou a ONU Mulheres, entidade das Nações Unidas que se dedica a promover a empoderamento de mulher e igualdade de gênero. Para se ter ideia, só no primeiro semestre de 2020, o Brasil registrou 648 feminicídios, 1,9% a mais que no mesmo período de 2019, segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).


O FEMMEFEST visa chamar atenção para este cenário. São muitas Marias com seu pedido de socorro abafado sem saber para onde ir e a quem recorrer. O evento quer denunciar estes casos e orientar as mulheres.


O projeto foi selecionado na Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural, em edital do Governo do Pará, por meio da SECULT.


SERVIÇO:

O QUÊ? II FEMMEFEST - As Três Maria - festival online com shows musicais, performances artísticas e bate-papos para promover o protagonismo feminino.

QUANDO: 06 de março de 2021 a partir das 19h.

ONDE: Canal FEMMEFEST no YouTube.


Projeto selecionado na Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural, em edital do Governo do Pará, por meio da SECULT.

Com informações da assessoria de imprensa.


#IIfemmefest

#femmefest

#astrêsmarias

#protagonismofeminino

#leiadirblancpará

#festivalonline


15 visualizações